Fashiitas – Edição I

Inaugurando a seção Fashiitas, nosso renomado colaborador e editor de moda da Revista Gerson, Wanderley Calcinhaji, nos traz uma importante análise de 4 looks observados em um singelo passeio pelas ruas das principais metrópoles do país. Homens, aprendam!

Sujinho Maroto

Look Sujinho Maroto – clicado no Museu do Ipiranga-SP

O mendigo veste quase um tom sobre tom despojado e casual, com uma japona impermeável de amianto, própria para suportar intempéries como chuva, poça d’água de motoristas do centro e, até mesmo, rajadas de fogo de adolescentes riquinhos. Cobre a cabeça com um funcional capuz cinza, feito com tecido para embalar móveis de mudança. Um arraso! Merece meu iá-iá!

Cacique de Campos

Look Cacique de Campos Elíseos – clicado na Praça da República-SP

O imigrante ilegal de Cochabamba índio veste um valente cushmã creme, adequado a seus ancestrais incas. Na cabeça, traz um cocar estilo apache-retrô, utilizando gizes de cera como base. As penas são de pato-peba de um rinha clandestina de patos no Largo do Arouche. Peca no acessório: a flautinha não foi feita com madeira de reflorestamento e afugenta os turistas com seu chatíssimo som. Uma pena. Vai ganhar meu iô-iô!

Sherlock do Trianon

Look Sherlock Holmes do Trianon – clicado no Parque Trianon-SP

O veterano veste paletó xadrez doado na Campanha do Agasalho 2003 e calças aveludadas quase fendi-adamascado, usurpadas de seu filho mais moço. A boina confere um toque blasé ao conjunto, porém, assemelha-se a um falido maquinista de trem de um parque temático qualquer. Sapatos marrons impecáveis, que perdem qualquer sentido quando combinados a um lenço engravatado azul (que porra é essa?). Iô-iô pra ele, infelizmente!

Gandhi da Enseada

Look Gandhi da Enseada – clicado na fila da Balsa do Guarujá-SP

O curandeiro veste um levíssimo traje branco, combinando com o frescor do cenário, super adequado à missão de doutrinar os povos em direção à paz. Traz uma providencial toalha velha ao redor do pescoço para proteger contra a ação de borrachudos e um cajado resistente de cana, que pode ser chupado nos momentos de sede. Na testa, o sinal de uma leve topada em uma parede com 2 demãos de tinta. Nada que comprometa o conjunto. Perfeito. Iá-iá com louvor!

Anúncios
Esse post foi publicado em fashiitas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Fashiitas – Edição I

  1. Natalia disse:

    Pô, o Sherlock estava bacana!! Quanta autenticidade!

  2. Marcia disse:

    Calça fendi adamascada?? ih… Tô achando que essa coca é fanta rsrs

  3. Pingback: Fashiitas – Edição II |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s