Pensando Fora da Caixa – Fascículo 1

Tem uma reunião inesperada com seu chefe e precisa de novos termos da moda na manga? Quer incrementar seu vocabulário junto aos seus fornecedores? Quer impressionar a todos e ser o rei do bebedouro na hora do intervalo? Calma, amigo marketista idiota, a Odaires está aqui pra te ajudar.

Apresentamos o dicionário Pensando Fora da Caixa (ou As Bases do Pensamento Merdo-marketeiro; ou Transformando Merda em MKT; ou Fazendo merda com MBA; ou Cagando e Brifando) mais do que um guia, um verdadeiro parceiro para todas as horas.

1. Clientividade: termo usado por grandes empresas ao foder a vida de clientes com inúmeros recalls ou serviços de pós-vendas que simplesmente não funcionam.

Exemplo de aplicação: Com a Garantia Estendida valorizaremos a clientividade de nosso excelente serviço de pós-venda.

2. Retro-Sustentabilidade ou insustentabilidade. O lance é o seguinte ó: toda empresa polui e destrói os recursos naturais pelo simples fato de existir. Mas como a empresa X possui um cestinho pra colocar lixo reciclável ou um selinho pra falar que arregaçou menos florestas, ela é mais sustentável que a sua, seu desalmado.

Exemplo de aplicação: Com a tecnologia XPTO360, nossas motosserras são ecologicamente corretas e evitam a retro-sustentabilidade, porque emitem menos poluentes na atmosfera e cortam as árvores rapidamente, de forma indolor.

3. Integração sistêmica. Significado: não praticamos bullying aqui na empresa e todos os colaboradores são felizes e integrados. Menos o Aldemar, do almoxarifado, que é alvo de zombarias só porque é fanho.

Exemplo de aplicação: A integração sistêmica de nosso quadro de colaboradores foi tanta, que ninguém mais riscou o carro do vice-presidente.

4. Pensandoforadacaixidade ou pensandoforadacaixicismo: inovar, criando a coisa mais incrível, espetacular e orgástica de todos os tempos da galáxia. Ou simplesmente dar um nome boboca a algo que já é feito desde que o mundo é mundo.

Exemplo de aplicação: Tá faltando um pensamento mais pensandoforadacaixismo nessa empresa, precisamos criar novas tendências, a coqueluche do momento!

5. Biro-biro-bilidade. Mesmo sem um planejamento definido (ou criado), é o ato de passar o briefing para uma agência criar uma campanha supimpa de algo já feito e refeito 20 vezes, sobre o mesmo tema infundado, sem verba e podendo inovar, desde que não saia 1 milímetro do padrão quadrado adotado pela empresa.

Exemplo de aplicação: Precisamos (e)startar* essa campanha o mais rápido possível. Fala pro Johnson, do Marketing, passar aquela apresentação que fizemos para a agência criar algo em cima daquilo. Ele tem uma biro-biro-bilidade muito boa pra isso.

6. (E)Startar. Hein? Quem foi o geek idiota e maldito sem vida social que inventou uma merda dessa? Iniciar um novo trabalho.

Exemplo de aplicação: Não temos logo, nem o texto de referência, nem o formato definido, mas acho que podemos estartar aquele job do catálogo. Já dá pra ir adiantando, né?. 

Anúncios
Esse post foi publicado em pensando fora da caixa. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Pensando Fora da Caixa – Fascículo 1

  1. Pingback: Pensando Fora da Caixa – Fascículo 2 |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s